Casar com menina

Menina de 12 anos forçada a casar com dois homens no espaço de um mês Criança fugiu do primeiro casamento e casou-se novamente, para evitar o castigo da família. Acabou por ser resgatada ... U ma menina de 5 anos, a lutar contra um cancro em fase terminal, realizou um dos seus maiores sonhos ao casar com o seu melhor amigo. Eileidh Paterson, da Escócia, realizou uma lista de desejos ... Menina! Que tantas vezes fiz chorar Achando graça quando ela dizia: 'Quando crescer vou Casar com você' Menina! Como pude te amar agora... Te carreguei no colo, menina Cantei prá ti dormir...(2x) Menina! Que tantas vezes fiz chorar Achando graça quando ela dizia: 'Quando crescer vou Casar com você' Menina! Como eu pude te amar agora... Nem dá tempo de falar alguma coisa, o mais velho já pergunta: mas mãe, menina pode casar com menina? Gente, eu nem queria esse papo de namoro, casamento, peloamor, são crianças!! Mas olha, se tem uma coisa que posso oferecer desde agora para os meus filhos, é a minha referência sobre respeito e diversidade. De acordo com as leis islâmicas, uma menina […] pode casar, porém não pode escolher seu próprio vestido>>, foi a frase na qual ela compartilhou. @AlinejadMasih A profissional confirmou que o noivo mentiu na hora de dizer a sua verdadeira idade para a união religiosa dizendo que tinha 22 anos, só que na realidade ele tinha mais. Imagem de menina de 12 se casando com homem de 50 causa revolta na web ... Milhares de meninas sauditas de menos de 14 anos são obrigadas a casar com homens mais velhos O casamento de um saudita de mais de 90 anos com uma garota de 15 voltou a inflamar um debate sobre ...

Sou babaca por querer ao maximo me afastar da minha mãe?

2020.09.23 17:11 ngimportante Sou babaca por querer ao maximo me afastar da minha mãe?

Oi Luba,editores,gatas,papelões,possivel convidado (nunca tem)e turma que está a ler ou ver
Eu tenho 13 anos,desde pequena cresci com minha mãe, pai e irmão,até ai tudo bem. O problema em questão é que minha mãe nunca gostou muito de mim,sempre me tratou pior e me julgou mais pelo fato de ser menina ou sei lá o porque Ela vive me dizendo que eu sou uma inútil,que não presto pra fazer nada,e que quando eu casar vou apanhar do meu marido por não saber fazer os serviços de casa. Tudo isso me deixa,obviamente,muito mal,e mais distante dela,não conversamos muito e nosso convívio é muito difícil. Além do fato de eu ser bissexual,oque obviamente ela nunca aceitaria,por motivos de religião,de vez em quando ela solta comentários como "isso é errado" e "se fosse pra ser assim,deus tinha feito assim" Consequentemente tudo oque ela faz e diz,me deixa muito mal,oque me levou a ter ansiedade e problemas com depressão e autoestima,mas ela também menospreza saúde mental. Isso me fez querer me afastar dela o máximo possível,Eu realmente a trato meio mal,e rebato quase todos os comentários e críticas maldosas que ela direciona a mim. Além das ameaças físicas e mentais,ela menospreza tudo oque eu faço e eu definitivamente não gosto de estar na presença dela,mesmo sendo minha mãe,não sinto amor algum por ela,e desejaria poder não viver em sua companhia. Eu sou babaca por me sentir assim em relação a minha própria mãe?
submitted by ngimportante to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.22 16:00 Triiggerr Tente não ser social awkward

Antes de mais nada desculpa pelo termo em inglês. Eu não sei se existe um nome pra isso em português.
Minha história começa ha 3 anos. No final de 2017 meu cachorro morreu e eu era muito apegado a ele e eu fiquei sem rumo e sem motivo pra continuar vivo. Eu só continuei indo pela minha mãe e pelo meu pai senão eu tinha me matado.
Alguns meses desse estado mental de desistência eu já tinha perdido basicamente toda minha habilidade de socializar e interagia basicamente com 3 amigas na minha sala e não conseguia ter um diálogo com mais ninguém direito.
Até que em abril de 2018 eu conheci uma menina e eu conseguia conversar com ela de verdade e eu me apaixonei por ela e a gente começou a namorar. Eu fiz tudo que eu podia e tudo que eu não podia por ela. Gastei Todo o dinheiro que eu tinha, peguei dinheiro emprestado, paguei no crédito sem saber como q eu ia arrumar dinheiro pra pagar o boleto no final do mês, Briguei com meus pais, parei de conversar com uma menina q ela não gostava, fiz coisas que eu não gostava/não queria. Isso tudo ao longo de 2 anos e meio de relacionamento.
Por mim tava tranquilo por que eu amava ela e as outras coisas não eram tão importantes mesmo. Porém além disso tudo eu também parei de interagir muito com meus amigos quando eu não estava na escola por que eu ficava sempre com ela fazia tudo com ela e etc.
A consequência disso foi que atualmente, depois de formado no ensino médio, eu interagia basicamente só com a minha namorada, conversando muito raramente com meus amigos que são um total de 4 pessoas sendo que a pessoa que converso mais fequente eu falo tipo uma vez a cada 15 dias ou algo assim.
Pulando pra sábado passado minha namorada falou comigo que ela me amava apenas em X circunstâncias, que ela não me apoiaria a fazer tudo que eu achasse correto e que eu só era a prioridade dela a não ser que ... (qualquer coisa que ela decidir). Ela já tinha apresentado esse comportamento antes de priorizar outras pessoas e outras coisa a cima de mim mas eu não ligava por que eu amava ela. Isso que ela falou já me fudeu com todas as forças mas eu não fiz nada só fiquei triste e com raiva.
No domingo ela terminou comigo. Falou que não tava dando certo pra ela a um tempo ja e que achava que era a melhor coisa a se fazer.
Agora vem a explicação do titulo. Tente não ser social awkward. Como eu só conversava com ela e não interagia com mais ninguém direito eu estou completamente desorientado. Meus pais e minha irmã tão me dando uma força daora e eu consegui conversar a respeito com uma amiga minha mas eu simplesmente tô abandonado sozinho no mundo. Por que eu vejo as coisas penso as coisas e quero contar pra alguém mas não tem ninguém pra contar por que eu só conseguia conversar mesmo com ela. Ontem eu tive uma crise de ansiedade que durou tipo a tarde inteira por que eu tava completamente perdido no mundo e na minha vida.
Além disso tudo eu não posso fazer nada que eu gosto o que piora tudo infinitamente. Eu sou músico violonista e pianista e sou programador. Porém no último mês eu tenho tido um problema na mão que acredito ser tendinite que toda vez que eu vou tocar ou mexer no computador minha mão começa com uma dor insuportável (Mas já marquei um fisioterapeuta e vou consultar essa semana ainda). Então nesse momento eu tô sem ninguém pra interagir direito e sem poder tocar ou mexer no computador o que piorou tudo.
O que ta me "segurando no lugar" são meus pais, minha irmã, meu cachorro(que veio pra minha casa ano passado) e a amiga que eu consegui conversar. Mesmo assim eu tô tendo crise de ansiedade e começando a chorar do nada e ficando olhando pra parede pensando que que aconteceu e pensando como que o universo gosta de me fuder por que no último ano tudo deu errado pra mim menos o meu namoro e agora o namoro deu errado também.
A moral da história é não pare de interagir com seus amigos em nenhuma situação. Não baseie toda sua sanidade e paz de espírito em uma pessoa por que a gente nunca sabe o que vai acontecer. Eu queria e acreditei que eu ia casar com ela e a gente ia ter filhos e uma família e ficar juntos pra sempre mas o universo tinha outros planos pra gente.
Tente ao máximo não ser social awkward por que isso doi muito e eu espero que mais ninguém tenha que passar pelo que eu passei ontem.
Desculpa pelo texto gigante eu não consegui falar sobre isso com mais ninguém direito e aqui me pareceu um lugar apropriado.
submitted by Triiggerr to desabafos [link] [comments]


2020.09.19 03:12 MoriSann O dia que eu engravidei minha amiga com apenas 9 anos

Olá Luba,editores,gatas e turma que estão a ver
Quando eu estava na 4ª série eu era muito amiga de uma garota que era da minha sala,digamos que seu nome era Raynara,ela sentava ao meu lado em outra fileira de mesas por isso conversávamos muito
A mãe de Raynara era amiga da minha falecida avózinha, e como eu ficava o dia todo com ela pq minha mãe trabalhava o dia todo a mãe de Raynara a levava a minha casa para brincarmos juntas enquanto elas conversavam..
Um dia, eu e Raynara estávamos brincando no quarto com aquelas peças grandes e coloridas de montar sabe?tipo Lego enfim.. eu estava muito empenhada em montar algo extraordinário com aquelas peças mas Raynara não parecia tão animado o quanto eu estava, ela ficava me encarando, era desconfortável. Enquanto eu montava um avião Raynara me pergunta "-Posso te dar um beijo?"
Não lembro o que exatamente eu disse mas tudo indica que eu aceitei considerado o fato de que ela me deu um beijinho no canto da minha boca, depois que ela me beijou a mãe de Raynara grita lá de fora que elas iriam ir embora agora, eu levantei o meu rosto e Raynara me deu outro beijo, dessa vez na boca, depois ela foi embora
Na aula do dia seguinte Raynara e eu fizemos dupla para fazer um trabalho de escola, eu agi normalmente já Raynara insistia em perguntar se eu lembrava o que havia acontecido ontem..
No recreio Raynara e eu nos separamos, eu gostava de jogar bola ou ficar com meu amigo no recreio. Estava tudo normal até que em algum momento ouvi pessoas comentando coisas como "Sabiam que a Raynara tá grávida?" "A Raynara vai ter um bebê!". A escola inteira estava comentando sobre a gravidez de Raynara, eu não me importei já que não era a primeira vez que as pessoas espalhavam boatos não só sobre Raynara mas também sobre qualquer um que eles quisessem tirar sarro.
O recreio acabou e eu voltei pra minha sala, Raynara estava sentada chorando em sua mesa, como eu sempre enrola e só entrava na sala depois que a professora chegasse eu só consegui ver a professora levando Raynara para a diretoria, depois de alguns minutos Raynara leva a professora e a diretora para algumas salas, ela retorna pra nossa sala agora com alguns meninos e meninas de salas e anos diferentes, a diretora fez com que todos os causadores dos boatos se desculpassem na frente da sala inteira, depois de alguns minutos vendo aquelas pessoas levando um looooongo sermão da diretora a aula continua e todos agem normalmente.
Na hora de ir embora optei em voltar por um caminho mais longo e calma, que por acaso do destino era na rua onde Raynara morava, eu a vi sentada na calçada a alguns metros da sua casa, ela parecia chateada então fui conversar com ela
-Raynara? Você tá bem? -Você vai ser o pai! -O que? -Eu sou a mãe então você tem que ser o pai -A diretora falou pra você parar de dar ideia para o que aqueles meninos falam -Mas eu estou grávida,eu sinto o bebê na minha barriga! -Isso é sério? -Sim!Aqui coloca a mão na minha barriga
Raynara pega minha mão e coloca na barriga dela. Eu podia jurar que algo se mexeu na barriga dela, talvez só era coisa da minha cabeça pois eu estava em pânico.
Eu vou ser pai? Eu vou ter barba?! Pensamentos como esses pairavam sobre minha mente enquanto Raynara falava coisas sobre comprar uma casa e usar terno e gravata
-Eu não vou ser pai -Claro que vai,eu já sou a mãe -VOCÊ QUE ME BEIJOU E CULPA É SUA!!
Depois que eu gritei percebi qua algumas pessoas olhavam pra gente e depois continuavam o que estavam fazendo, eramos apenas duas crianças gritando coisas sobre mamãe e papai na rua, na certa pensaram que estávamos brincando de casinha ou algo assim
-Eu vou contar pra minha mãe que você não quer ser o pai
Ela correu pra sua casa e eu corri pra minha com medo da mãe de Raynara aparecer na minha casa e dizer que eu teria que me casar
No dia seguinte fui pra escola e Raynara agia como se nada tivesse acontecido, nenhuma de nós tocou do assunto. Não sei o que Raynara disse pra mãe ou se ela disse alguma coisa a única coisa que sei é que nem Raynara ou sua mãe foram na minha casa novamente
Hoje estou com 15 anos e não tenho contato com a Raynara a talvez 3 anos, não sei se isso tem alguma relação com Raynara mas me assumi lésbica esse ano para minha mãe, tá sendo um pouco complicado mas quem disse que seria fácil neah? Enfim espero que tenham gostado bjus pra qm quiser 2<3
submitted by MoriSann to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.16 23:31 rococo_toxic Enojado com uma certa comunidade

Eu já vi postarem várias vezes sobre a comunidade incel, mas tenho a impressão que as pessoas realmente não entendem o que é. Já faz anos que de vez em quando eu dou uma olhada nos fóruns só de curiosidade e acabo me emputecendo sem necessidade. Dessa vez senti a necessidade de desabafar... até para ver se eu largo de vez. Tinha um certo post justificando a atração masculina por meninas pré-adolescentes, com várias replys, uma em especial falando sobre a moralidade nunca ser algo fixo, podendo variar até na forma de que um homem se relaciona sexualmente com a filha bebê (dando a entender que a mulher é propriedade do pai até se casar). Não é a primeira vez que esbarro com esse tipo de post, já vi coisa bem pior. Isso me faz pensar que a forma que usam o xingamento "incel" é totalmente errada. Mas sinceramente... estou cansado dessa comunidade tóxica. E digo mais, espero que todos que pensem assim terminem sozinhos para sempre, porque não merecem amor nem de puta. Quem quiser que eu mande o post pode chamar na dm. É isso.
submitted by rococo_toxic to desabafos [link] [comments]


2020.09.15 22:24 keeponwalk1ng Sou homem, tenho 25 anos e sou virgem

Sempre fui muito, muito fechado até meus 18 anos. Até essa idade eu só tinha beijado na boca duas vezes, sendo a primeira aos 15. Quando completei 18 anos, mudei da água pro vinho e comecei a ter amigos, a sair, etc, e apesar de eu ser feio, algumas meninas bem bonitas se interessavam em mim e eu nunca ficava com elas por alguns motivos: 1) por serem muito bonitas pra mim, 2) por terem bem mais experiência que eu e 3) pelo risco de contarem pros meus amigos que eu não sabia transar. Nosso círculo de amizade era grande, então a fofoca rolava solta. Sempre que um amigo ficava com alguém, ouvíamos dos dois lados os detalhes da ficada. Então não era achismo meu. Com certeza alguém comentaria como foi, e se minha inexperiência ficasse óbvia (que acredito que ficaria), acabou pra mim. Por puro acaso, conheci uma garota de uma cidade a 3h da minha, e nos apaixonamos. Mas ela tinha 17 anos e eu 18, então eu tinha medo de irmos no motel e pedirem a identidade dela. É uma coisa boba, mas foi o que impediu que fossemos. Então namoramos 6 meses só beijando na boca mesmo. Terminado esse namoro, eu já com 19 anos, acabei entrando pra igreja e comecei a namorar 1 ano depois. Todo mundo sabe que, em tese, na igreja só transa depois do casamento. Eu e minha namorada realmente acreditávamos na religião, então nunca transando durante nosso namoro. O problema é que nosso namoro durou 5 anos. Terminamos há 6 meses por motivos à parte, íamos nos casar nesse ano mas o relacionamento não estava bom. Agora eu tenho 25 anos e sou virgem. Saí da igreja há 3 anos já, mas não ia pra festas porque preferia ficar com a namorada. Agora solteiro, até conheço umas garotas que ficam a fim de mim, mas eu me autosaboto e não transo pelo mesmo motivo da inexperiência. Eu já fui em um puteiro pra resolver esse problema de uma vez, mas broxei hahaha. Passei 1h conversando com a mulher várias coisas aleatórias e depois fui embora. Desde então eu estou tão encanado com isso que nem vontade de transar eu sinto mais, sendo que quando eu namorava o negócio era doido, tinha muita vontade todo dia. Hoje passo semanas sem nem vontade. Eu tinha 4 contatinhos, mas todas desistem de mim porque mostram interesse, mas eu sumo. Não chamo mais pra sair, não chamo pro motel (mesmo recebendo indiretas bem diretas). A insegurança é foda e não vejo solução. Lembrando que essas não são garotas que são apaixonadas por mim, elas só querem algo casual. São o tipo de meninas que se o sexo for ruim (e acho que vai ser), vai me bloquear de tudo e postar no Twitter alguma indireta sobre isso. Eu comecei a namorar aquelas duas garotas porque achei que elas teriam mais compreensão, e as duas realmente teriam, mas nunca chegamos nesse ponto e agora não tenho nem ânimo de arranjar uma nova namorada que vá ser compreensiva. Nem sei se existe, com minha faixa de idade. Enfim, só quis desabafar.
submitted by keeponwalk1ng to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 22:51 bloomorte Mesmo gostando muito dela, eu terminei.

Já tem uns dois meses que tomei a decisão de terminar o meu namoro de dois anos. O relacionamento não era uma maravilha, como qualquer um tinha seus altos e baixos, mas ela é linda e assim como eu gosta muito de videogames, passávamos os fins de semana jogando até cansar. O meu maior problema com ela era ciúmes em excesso, da parte dela. Tenham em mente que eu não sou nenhum exemplo de homão da porra não...moro com a minha mãe e meu irmão, não tenho vontade de morar sozinho tão cedo e nem de me casar (o que era um outro problema a parte que tínhamos), portanto eu mesmo não estou isento de ser problemático.
Sobre o namoro, ela fazia eu me sentir um criminoso - mesmo sem nunca ter feito nada de errado. Eu nunca vi uma pessoa tão insegura. Eu não precisava fazer nada para ela acusar que eu tinha interesse em fulana ou ciclana. A exemplo, uma vez a gente saiu junto, apareceu uma menina na fila do bar, ela começou a chorar porque disse que eu tava "secando a menina" e me fez levar ela embora. Outro exemplo é que esse ano comecei em um novo emprego, saí mais tarde por alguns dias e ela logo veio me atacar dizendo que eu tava saindo com alguém do trabalho. Eu não podia interagir com ninguém em rede social, se a gente saía eu tinha medo de olhar pros lados e ter que ficar ouvindo groselha depois. Se eu desse motivos entenderia, mas nunca fiz nada.
Com base em tudo isso, tentei terminar várias vezes, sem êxito porque ela dizia que ia se matar, mandava mensagens de adeus e me deixava maluco com medo de acordar com notícia dela ter tentado alguma besteira. Isso aconteceu uma vez, embora não tenha dado em nada. Tentei falar com a família dela, mas a mãe dela só dizia pra eu não desistir e dizia não ter condições de pagar um psicólogo.
Foi passando o tempo e eu mesmo comecei a me ver infeliz e desgastado. Ela e minha mãe começaram a brigar, minha mãe queria uma coisa e ela outra, mas ninguém se importava com o que eu queria. Teve momentos de constrangimento na família. Eu não queria mais buscá-la nos finais de semana, só queria ficar em paz, sozinho, jogando meus videogames no sofá sem ter que compartilhar meu espaço com ninguém. Isso foi ficando cada vez mais intenso, e ela foi percebendo. Passei a ser mais duro com ela, fui acostumando ela aos poucos de que não tava dando certo, reduzindo a frequência que a gente se via.
Com a pandemia eu vi que seria cruel terminar e deixar ela cheia de merda na cabeça sem poder sair pra lugar algum, ela basicamente passava as semanas esperando pra me ver e poder jogar comigo, já que ela não tinha computador em casa e a família dela é um pouco pobre. Juntei umas peças que tinha de um PC antigo e consegui montar um pra ela jogar em casa. Ela pegou uma parcela do auxílio emergencial e comprou um teclado e mouse, chorou de emoção por estar conseguindo montar um cantinho pra ela. E com o sentimento de ter deixado ela preparada para lidar com o luto, terminei. Ela não ameaçou mais se matar, mas vejo que ainda sofre muito.
Eu sinto saudades as vezes, de muitas coisas. Do cheiro, dos abraços, das brincadeiras.
Mas considerando que eu não me sentia feliz e que eu não consigo me ver casando com ninguém (muito menos com alguém que faça eu me sentir "preso"), achei que a melhor decisão foi deixá-la livre para ser feliz com outra pessoa. Eu vou ficar sozinho e não pretendo me relacionar nunca mais.
Se leu até aqui, obrigado!
submitted by bloomorte to desabafos [link] [comments]


2020.09.13 13:08 heyhouletsgou Estou encerrando minha conta

Razões:
Aqui vc tem que concordar com: dar apoio para gente que não consegue parar de bater uma, ler comentários imbecís de caras comilões famintos em post de meninas fragilizadas chamando para conversar inbox, ser simpatizante com coisas que vc não concorda e se vc simplesmente expor sua opinião contrária com o modelinho bem comum de hoje, querem te calar.
Definitivamente as pessoas pararam de aprender a conversar e com certa sutileza querem impor suas ideologias próprias. Se achando Freud, Nietzsche etc. ah vai a ****! E com isso o pior Tiram sua liberdade de expressão.
Gente tentando se matar e aparece trouxa incentivando. Ou comentários ainda que sutis de que a vida não vale a pena.
Fechem isso daqui. É uma vergonha. Moderação zero, não sabe recuperar pessoas e mediar conflitos. Ficam falando só para denunciar mas não arbitram em favor da justiça. Aqui é democracia mesmo como diz o Bolsonaro. Se a maioria quer dar o Cu e vc não, ah vc foi vencido pela democracia do Reddit.
submitted by heyhouletsgou to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 08:06 arrux1 Eu estou exagerando ou sendo c*zona? Pessoa morando com a família sem consentimento de todos

A minha vida quase toda morei com meus irmãos e minha mãe na casa dela (onde estou atualmente). Porém, em 2016 mudei-me para o Rio de Janeiro por conta da faculdade e fiquei voltando a minha cidade natal apenas nas férias. Com a pandemia consegui homeoffice do estágio e EAD e regressei a casa da minha mãe em março pois achei que seria uma boa ideia ficar mais próximo da minha família nesse momento (risos) e estou temporariamente aqui até agora...
Meu irmão mais velho arranjou uma namorada (eles namoram + ou - a 2 anos) que é sócia de trabalho dele. No inicio do relacionamento ela aparecia de vez em quando aqui em casa, e quanto mais a produção do trabalho deles aumentava mais a frequência dela por aqui tb aumentava. Eu nunca tive problemas com a presença dela antes, até pq passava a maior parte do meu tempo no Rio. Porém, no terceiro mês que regressei a casa da minha mãe, em meados de junho, comecei a achar estranho o fato que ela ficava 24/7 aqui em casa, comia, dormia, ia pro trabalho, voltava e ficava direto por aqui.. porém relevei por questão da pandemia... era compreensível. Meu irmão do meio começou a ficar um pouco incomodado com isso tb pq jamais em nossas vidas trouxemos parceiros para passar tanto tempo nessa casa (até pq no passado, nossa mãe nunca permitiu) e segundo ele, essa situação já estava acontecendo bem antes da pandemia (meu irmão do meio também tem namorada atualmente e ela só apareceu por aqui nesse período algumas poucas vezes). Para além dessa situação, eu não me sinto muito confortável quando pessoas que não são do convívio diário passam muito tempo no lugar onde moro interruptamente, sinto que é uma invasão de privacidade (isso acontece também no meu apartamento do Rio com visitas que ficam mt tempo as vezes, mas converso com minha house mates e sempre resolvemos as situações numa boa - moramos a 4 anos juntas).
O tempo foi passando, eles começaram a comprar uma cama nova, microondas... até que minha mãe hoje confessou pra mim que achava que a menina tinha entregado o apartamento dela e estava morando aqui em casa (ela faz univ fora e n tem família aqui). A questão é: quando eu ouvi isso, eu fiquei muito puta!
Cara eu achei um absurdo a situação. Como é que uma pessoa se muda pra casa que eu morei minha vida quase toda e não conversa com ninguém? Tipo, eu entendo que estamos numa pandemia, ok, mas a menina se mudou sem previsão nenhuma de volta e não falou nada sobre isso. Como é que alguém vai comendo pelas beiradas e do nada PUFF se muda pra sua casa? Eu achei bizarro pra crl sendo que nem noivos eles são nem nada, é um namoro de 2 fucking anos.
Eu me senti desrespeitada pois não fui consultada e dividi isso com minha mãe. Falei que não gostei da forma que as coisas foram feitas, como é que se mudam pra uma casa com uma família morando e não consultam os moradores? Ela me respondeu que achava que eles iam casar em breve pq "a menina queria muito" e como mãe, queria dar o apoio nesse momento.
A menina não conversou nada com minha mãe que ia se mudar pra lá e aparentemente ela não ta ligando muito pra isso... Porém minha mãe ficou chateada pq eu fiquei afetada. Mas eu não acho que estou errada... enfim, de qualquer forma já estou vendo passagens para regressar ao Rio no próximo mês pois meu trabalho vai voltar presencial em breve, mas está me preocupando o fato dessa situação se alargar por muito tempo... tenho medo de ter que voltar pra essa casa por questões financeiras no futuro (vou fazer de tudo para que não) e ter que conviver com mais uma pessoa que não escolhi (como se não já bastasse a relação conturbada com meus familiares). Eu jamais me mudaria pra casa dos pais de um namorado sem conversar com a família dele antes nem traria pra morar comigo assim sem mais nem menos. Enfim, vocês acham que eu estou exagerando? É legítima minha indignação?
Nota: Meu irmão mais velho já teve relacionamentos muito mais duradouros no passado de 5, 6 e 8 anos e isso NUNCA rolou antes, nunca tive esse problema com nenhuma delas. Nem com namorados meus ou namoradas do meu irmão do meio.
Nota2: Aparentemente essa menina quer muito casar com ele e eles se dão bem, mas não sei se meu irmão quer...
Nota3: Todos os moradores da casa são adultos maiores de idade.
submitted by arrux1 to desabafos [link] [comments]


2020.09.06 18:19 rVonyon Declaração real

Farei uma declaração real.. galera, ontem fiz show na Boate 502 e depois na Mosaico.. Galera, puteiro é muito bom.. De verdade, não consigo e não quero viver outra coisa que não seja a putaria. Nada me faz tão feliz e me da tanto tesão quanto esse meu mundo.. Fazer filmes, ser garota de programa e fazer shows.. Já pensei em parar para casar, mas iria me arrepender. Galera, de verdade, eu não nasci para ter um homem com uma piroca só e casar.. Gosto de várias pirocas me comendo, gosto de ver as putas gostosas do puteiro, pois adoro também ver xoxotinhas, gosto de ser livre e ninguém mandando em mim.. gosto de andar nua, gosto dos caras metendo no meu cú com caras de putos.. Boate 502 e Mosaico, obrigada por ontem 🙏🏻 Espaço 26, Black White, Caribean Queen, Boate Encantadas, Boate Parque das Rosas.. meninas que trabalham nessas Casas esse é o nosso estilo e o mundo não entende, mas eu falo por mim, meu sonho era ser da Marinha, mas seria frustrada demais.. já fui intelectual, já fui muito tímida e ainda sou às vezes, mas nada melhor do que ser puta e o puteiro.. tô satisfeita, eu nasci para isso e cada vez tenho mais certeza disso ❤
submitted by rVonyon to copypastabr [link] [comments]


2020.08.21 13:19 Neivando Menino chora e se desespera porque menina diz que vai casar com ele

Menino chora e se desespera porque menina diz que vai casar com ele submitted by Neivando to nhaa [link] [comments]


2020.08.18 20:41 KimiTanoshimu As Aventuras Desaventuradas de Pêra (#3)

Era uma vez, em tempos tão longínquos como o local em que esta história se passa, uma bela princesa, a jovem Pêra. Delicada como uma árvore nos seus primeiros anos de vida e doce como o fruto amadurecido que um dia dela cairá, Pêra passara grande parte de sua vida numa torre. Fazia-lo por opção própria.- É para criar tentação - alegava, usando uma história para crianças como justificação para seu pai.Este, extremamente cético quantos aos métodos de sua filha, até chegou a ameaçar de espingarda um ou dois pretendentes, mas admitira que a altura chegara e ela deveria arranjar um marido.Metros e metros, hectares e hectares, semeados de homens, cobertos de cavalos, carroças e joalheria. Depois de inúmeras horas, provavelmente até dias, a escolher a pente fino, a verificar passados e qualificações, três candidatos foram escolhidos e submetidos à pior das provas, mostrar à princesa o porquê de deverem ser escolhidos.
Entrou pois o primeiro, João Abreu:- Soys princesa ou soys anjo? Que tal língua que tanjo, Não te consegue descrever De tal beleza que estoy a ver.
Nos teus braços desejo voar Por João Abreu me poderás tratar Mas que serve uma apresentação Se não me for oferecida a tua mão?
(Pêra corou brevemente)
- Encantada estou com sua presença Com tal língua de habilidade imensa Acredito que não me tenha de apresentar Mas sou Pêra, parastes aqui para casar?
Movido pela reação da dama, convencidodisse:
- Pois então, pois venho! Uma grande população reino E se vós quereis o melhor que há Não procureis mais, à sua frente o está.
Ao sentir a presunção do dito João, Pêra, acertiva respondeu:
- Com a língua tem tu cuidado Não és mais que um mísero delegado E tal como na realeza, na poesia Desgosta-se o uso abusivo de ironia.
Envergonhado e acorbadado, fugiu com a espada entre as pernas, o mal sucedido delegado.
Surgiu assim o segundo, Manel Ferreira:- Oh Princesa dos meus olhosOh Rainha do meu coraçãoOh minha pura tentaçãoOh Alegria aos molhos.
Em ti confio mi vidaEm ti e só em tiEm ti um amor ardente vi.Em ti vejo uma boa vida vivida
(Pêra, encantada, reveu o perfil do jovem promissor. Só para se atormentar com o rank do pobre coitado no Lol...)- Oh pobre mocim'...Oh pobre mancebo cansadoOh pobre és e desesperadoOh pobre, então faremos assim:
- Eu com urgência necessitoEu não tenho defesa ou seguroEu tenho má fé e medo do escuroEu procuro um pequeno guardazito.
Sem perguntas que trouxessem má fado, sacou de um capacete e pôs-se logo a postos.
Chegara, por fim, o terceiro, O Mestre, ahm... Mário Ramos.- Oh que bela em pessoa soys!Ao natural, sem ilusõesMesmo encanto e tentações,E vaidade não falta pois.Neste mundo em que somos peõesVivamos não como um mas como doisE que esta rima isso simbolizeE sua magnificência caracterize.
Minha jovem dama dos céusCom honra e sem desleixoMinha benção deixoAos deuses meusE nem que se sacrifique gueixoMas que soltem os meus escarcéusPois nunca me senti tan desejadoE em tua grandiosidade estou atado.
Manel, agora guarda real feito, conjugado pela própria palavra real e tendo assim prometido manter a rainha a salvo, de forma a honrar tal palavra, ou pelo menos achando que assim o fazia, disse:- Para que vindes cavaleiro sovina?Para armar a esperteza?Para tentar alcançar a realeza?Para passar a perna a menina?
Acredites que vejo o sal na águaAcredites que vejo o vinho no pãoAcredites que não te vejo um único tostãoAcredites que te vejo a lhe criar mágoa.
De forma a seguir o direto, mas correto discurso do crente Guarda, disse assim a princesa:- Para que vindes então Cavaleiro?
Espantado por o que achara outrora um espantalho ter ditado uns belos versos, Mário rapidamente respondeu:
- Pois, bem, ahm, público difícil?Venho aqui um engenho meu demonstrarMas primeiro tenho que me certificarQue o guarda aplaudo, mesmo peridócil!Acredito que minha obra venha para ficarE substituir papel, pombo e estêncil,Este promove a comunicaçãoE WhatsApp é o nome que lhe dão.
Vendo a futura rainha com traços de curiosidade, Mário finalizou em estilo:
- A partir desta maquinetaPremir botão aqui,Botão ali,Mensagem para o pai, o filho e a netaFácil para todos, até para um lóquiSem discriminação, de gênero ou pernetaExperimente princesa, cortesia minha(É que para falar mais ninguém eu tinha).
A Princesa encantada, aventurou-se com a traquitana durante horas e horas e ao ver que o jovem inventor ainda se encontrava lá, à espera da sua reação, decidiu agradecer-lhe com um beijo, por lhe oferecer tal presente dos Deuses.Mário pifou. Como se diz em tempos mais futuros, mario.exe stopped working. Mário, que antes se apresentava apenas com intenções artísticas e económicas perante a princesa, viu um universo à sua frente e sempre que ficava sem ar, (ou pelo menos imaginava-se porque teorizara que no espaço não haveria ar), respirava o momento daquele beijo na sua agora rosada bochecha.Numa voz envergonhada e hipnotizada, disse:
- Pode ficar com o produto é uma oferta da casa princesaa aaa aE depois de alguns segundos, despediu-se e partiu, um tomatinho feliz a caminhar sobre o pôr do sol.
-Que farei eu agora meu guarda fiel? Nenhum dos 3 pretendentes foi escolhido... Bem não é tempo para mágoa, amanhã voltamos à seleção! - disse a princesa.
Enquanto isso, Mário voltava para a sua cidade Natal mais rápido que com qualquer cavalo devido a uma das suas mais recentes invenções, botas 'a jato'. Eram na realidade alimentados por uma fonte renovável de...- Finalmente cheguei! Não sabem o que me aconteceu! - disse o inventor.
Após chegar ao destino, tinha parado em casa de uns dos seus melhores mates, Lori e Manchester Kibizan.
- Estava a apresentar aquele meu produto à princesa, o que vos agradou também e ela não só amou como me deu um beijo como forma de agradecimento. Eu, eu acho que há mais que se diga da coisa, depois de amanhã vou ter com ela com outra invenção para continuar o namorisco, agora tenho que ir trabalhar nela mesmo, durmam bemmm!
E assim se despediu. Vendo esta reação e história tão estranha e súbita, Lori disse:
- Ele é bom rapaz.Ambos levantaram os ombros em concordância e continuaram o que estavam a fazer.
No dia seguinte ambos partiram cedinho na demanda para ir ter com a princesa. Chegaram bem mais rápido que o que seria necessário com as botas a jato personalizadas que Mário lhes fizera, que já agora utilizam um material...
- Eeeeeeish - disse Manchester. º
A fila que viam à sua frente de homens e de até várias mulheres, era humanamente impossível, bem em teoria, porque ali estavam. Não estavam interessados na princesa em específico, por isso foram sorrateiramente se aproximando da sua torre. Quando chegaram lá viram a princesa. Parecia cansada e irritada, mas para que é que estava esta gente toda aqui? Eventualmente, a princesa viu-os e avisou Manel para fazer a chamada para o lanche da manhã. A fila rapidamente desfez-se e várias pessoas reuniram-se em tendas ou acampamentos, mantendo civilizadamente a ordem.
- A que devo a vossa presença? - disse a princesa à dupla com quem mantia amizade há vários anos.- Ouvimos falar das tuas triquinices com uma pessoa especial - disse Manchester.- Gostávamos de saber mais - disse Lori, soltando um riso maroto.Confusa, Pêra respondeu?
- Triquinices? De que falam? Na realidade estou com falta de alguém para com quem as fa...
E interrompeu-lhe Lori para perguntar: - Pois, para que é esta fila toda?
Lori, percebendo a confusão da situação na cara da princesa e de Manchester decidiu contar o sucedido à princesa que lhe fez o mesmo.O resto é história, quando Mário soube o sucedido, de ambos os lados, já tinha sido rejeitado pela princesa, quase desprezado por tal difamação da princesa. E após dias de viagem a tentar buscar sabedoria com uma das melhores amigas da princesa, Rainha Vera, acabou ainda mais desolado, pois os conselhos desta tinham sido desistir da situação, para o seu próprio bem.Assim acaba a história, com Mário deitado debaixo duma árvore, a olhar para o sol. Sem emoção, sem pensamento, apenas com uma dor no coração. Não sabia ele que essa dor o motivaria para outras variadíssimas aventuras, milhares na realidade, até ser conhecido como o grande herói de toda a Terra. Mas isso é outra história.Por fim, sabe-se que Lori e Manchester se separaram de Mário, não por se terem zangado, mas apenas puro destino. Mantiveram, no entanto, contacto. Manel até hoje ainda guarda Pereira, mesmo já não se encontrando em sua torre. Após ter encontrado um plebeu cujo nome apenas tem duas letras, Pêra aventurou-se pelo mundo antes de ter de assumir o seu papel como rainha. Felizmente, acabou por encontrar um homem da selva que lhe preencheu o coração e a satisfez de uma vez por todas.Mário continuou sua jornada, com o coração partido e completamente destroçado, mas sem nunca desistir.
submitted by KimiTanoshimu to mariotoldbyyou [link] [comments]


2020.08.13 05:22 Na4te Enfim, apenas uma história que me marcou

Bom, eu tô afim de ouvir a opinião das pessoas a respeito desse acontecimento marcante na minha vida.
Diga oque você acha e oque talvez eu deveria ter feito.
É bom avisar q falo a respeito de sentimentos aqui, ADOLESCÊNCIA sabe como é né.
E como eu tenho vergonha de falar isso ao meus mais próximos eu conto a vocês.
Eu sempre fui uma pessoa avessa a relacionamentos, achava q nunca ia namorar ou me casar, Mas uma única pessoa me fez desejar isso.
Aos 8 anos de idade conheci uma garota que tinha tudo pra ser uma simples menina, apenas alguém que eu realmente esqueceria no futuro. Era uma menina beeem tímida e falava baixo, o único contato que tive com ela nesse ano foi apenas de ler e um texto junto com ela e nada mais.
Aos 10 anos reencontrei com ela novamente, porém nada de interessante ocorreu então, vamos pular alguns anos.
Depois de ter mudado de cidade e retornar aos 14, entrei em uma escola que nem queria por causa do meu primo, mas acabei gostando e por lá fiquei. A mesma garota estava lá nessa escola, continuava circunspecta e misteriosa. De vez em quando eu e ela trocávamos algumas palavras, mas nada de demais não chegavam nem a ser uma conversa.
Porém mais pro final do ano eu comecei a reparar muito bem nela, observava a maneira dela der ser oque me causou uma curiosidade.
Eu reparava que as vezes ela ficava me olhando discretamente, mas acho q era pq ela se sentia desconfortavel pelo fato de eu estar observando as vezes.( nada doentio)
Mas havia algo q só pensei depois, por exemplo, reparei que quando as pessoas apresentavam um trabalho ela normalmente não ligava, e ficava distraída com alguma coisa, mas quando eu ia apresentar ela prestava a atenção em mim, SÓ em mim.
Um ano depois aos 15, pouco depois das férias de julho.(agora que a merda aconteceu) Eu a vi sentada sozinha e fui falar com ela, afinal, eu a conhecia há anos e nem fazia ideia de quem ela era, só sabia o nome apenas. Conversamos durante umas 2h seguidas, com um papo muito irado que com certeza iria durar mais se tivéssemos tempo. Foi aí que eu reparei que todo aquele tempo havia uma garota incrível ali perto e nunca tinha "notado".
Eu senti algo que nunca havia sentido antes (paixão), eu passei a adimira-la apenas quando eu realmente descobri quem era aquela garota dos cabelos escuros e silenciosa.
Para a minha decepção, um amigo meu me disse " Eu quero tentar algo com a xxxxxxx!", e oque eu fiz? Nada! Apenas disse " Tenta! Ela é interessante." Eu notava uma possível reciprocidade( não sei se foi coisa da minha cabeça ), ela puxava assunto comigo coisa q não era comum dela fazer com outras pessoas, tinha uma coisa q eu fazia q ela odiava, mas relevava. Por vezes esse meu amigo estava tentando conversar com ela, mas não seu por que ele não conseguia, ela simplesmente ignorava ele e começava a conversar comigo.
(Esse meu amigo não sabe disso até hj)
E por fim, para não acabar com o "esquema" dele, eu me afastei dela com pesar no coração, mas me afastei. Acho q ela percebeu a minha distância e também resolveu deixar isso quieto. Mas o problema é que eu ainda continuava gostando dela, pra caralho. Observei que as vezes esse meu amigo tentava se aproximar, mas ela sempre recuava coisa q comigo não acontecia.
Também coloco parte dessa culpa em mim, afinal, se eu tivesse dito a ele oque queria talvez isso não teria acontecido , e também sempre fui muito tímido e reservado oq fez eu não falar nada pra ela oque realmente sentia.
Na verdade, acho q a culpa é toda minha!
Enfim, no final esse meu amigo desistiu dela e foi "caçar" outra pessoa, mas aí já era tarde demais pra mim. Eu não queria sair como o fura olho nem nada do tipo.
Quando ele já não queria mais nada, acho q ela já não sentia algo por mim ( se é que já chegou a sentir). Daí pra frente foi só ladeira a baixo, descobri coisas que me magoaram MUITO, acho q não é legal entrar em detalhes. E aos meus 16 anos minha mente e meus sentimentos estavam fodidos, e foi aí que eu saí daquela escola por motivos de trabalho mesmo, se não eu teria ficado. Mas algo que me atormentou bastante é que pouco tempo depois q eu saí eu vi ela colocando relacionamento sério com um garoto no Facebook, até hj não sei se foi brincadeira dos dois ou se foi real, mas aquilo doeu MUITO.
Hoje já se passaram mais de 1 ano e 2 meses que nem sequer vejo ela(por sorte ou por azar), mas eu ainda gosto dela, me sinto um otário por isso pq a maioria das pessoas q eu conheço supera algo do tipo em 3 meses ou no máximo 5.
Se tiver se perguntando, é... ela já sabe oque eu sentia , um boca aberta falou. Ela soube em fevereiro, desde então nem mensagem eu mandei mais.
Eu não sinto raiva dela, muito menos desse meu amigo. O único q eu realmente tive raiva foi de mim mesmo.
(Eu não me apaixonei por ela com apenas uma conversa, foram várias.) É bom dizer esse detalhe
Enfim, se você leu até aqui, caso queria opinar ou me dar um conselho fique a vontade. ;)
submitted by Na4te to desabafos [link] [comments]


2020.08.06 09:29 thais021 Sou babaca por não querer engravidar do meu ex?

Olá Luba e turma! A história é longa, mas estou passando por um problemão e preciso desabafar.. Quando tinha 17 anos conheci meu ex de 20. Ele não gostava de rede social, não tinha nenhuma, era um príncipe na terra. Eu frequentava a casa que ele morava com a família, todos me amavam. Até que depois de 3 anos eu conheci a outra namorada dele.. que tbm frequentava a casa dele, e a família tbm adorava ela. Enfim..ate hoje não sei quem era a amante e quem era a namorada, pois ele viajava cmg e tbm com ela, dividia bem o tempo entre as duas. Eu era nova e emocionalmente dependente dele. "Perdoei" essa traição, pois a outra menina desistiu do relacionamento e ele chorou dias no meu portão, eu coração fraco, deixei passar. Até que 2 anos depois eu tive um sonho que ele me traía com uma menina da minha rua.. dei um jeito, invadi o email de trabalho dele, descobri que ele tinha um facebook falso e que nele, ele conversava com 14 meninas. QUATORZE! e já tinha ficado com todas elas. E ele ficava com a irmã da menina do meu sonho. Eu joguei tudo na cara dele, estávamos fazendo planos de casar, já tínhamos o apartamento que estava reformando e íamos casar quando eu terminasse minha faculdade. Ele se jogava no chao de chorar e disse que deveria ter algum problema espiritual ou psicológico, eu não duvido, mas não queria mais lidar com toda aquela carga. Virei as costas e nunca mais voltei. Eu nunca mais namorei, resolvi focar nos meus estudos, estou fazendo mestrado em engenharia química, tenho minha casa e minha vida. Ele casou depois de 6 meses com uma menina de outra cidade que nao conheçia a fama dele. Não durou 2 anos, o casamento., ele terminou a facul de história e ainda mora com a mãe. Ano passado ele me procurou, pediu pra conversar, disse que tinha coisas pra me dizer, resolvi encontrá-lo. Ele me pediu perdão pelo merda que ele foi, disse que nunca me esqueceu e que eu era a mulher da vida dele. Eu disse que infelizmente esse sentimento não é mais recíproco, mas que eu o perdoava. Ele me contou também que estava com câncer. E me pediu apoio nessa fase tão difícil da vida dele. Eu, boa alma que sou, resolvi apoia-lo, passei a levar ele nas consultas, (a mãe dele não pode mais dirigir), então levo os dois. Presto um apoio sempre que da. Ele sempre tenta pegar na minha mão, ser romântico, diz que me ama.. E a mãe dele acha lindo nós dois juntos. Acontece que ele começou uma quimioterapia e o médico perguntou se ele gostaria de congelar seu esperma, pois existe a possibilidade dele perder a fertilidade com o tratamento. Ele aceitou congelar e a partir desse dia começou o meu inferno. Ele implora para que eu seja a mãe do filho dele, pois se ele morrer não vai deixar nenhuma descendência no mundo, manipulou a minha mãe, minha família e a dele, fazendo com que todos pesem na minha mente para engravidar. Minha mãe me disse que eu já tenho 27 anos e que já passou da hora de ter um filho. Ele me liga, chora, implora quase sempre. E eu já não sei mais o que fazer. Quero ser mãe, quero ter filhos, tenho dinheiro, estrutura, maturidade. Mas toda essa história está me deixando maluca. Tenho apenas 2 amigas que entendem o meu lado, mas as vezes acho que o mundo está contra mim. Como depois de 5 anos o cara volta, joga um câncer e um filho no meu colo e eu tenho que aceitar tudo? Enfim, sou babaca por não querer engravidar do meu ex?
submitted by thais021 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.30 18:16 whoolii Não sei se sou lésbica e se eu for fodeu....

Oie,Luba,turma,gatinhas,editores,papelões não vivos e OI PIKENO! Tudo bem com vcs? Espero que sim.
Bem,meus pais são homofóbicos e vcs já viram no título,eu estou em dúvida porque eu tinha me apaixonado um menino trans (ou seja era menina) e eu tinha parado para pensar e pensei assim "ele ainda tem os órgãos genitais de uma menina..." e eu tive um surto ;-;.
Eu nunca me vi com um homem,por exemplo,eu namorar ou casar com um homem e eu estou com bastante medo de me assumir e não sei a hora certa. Se eles não me aceitarem tem só cinco pessoas que me aceite (minhas melhores amigas,minha prima e minha tia).
Eu quero falar para minha tia..mas ela é da igreja. Ela é a única pessoa que realmente me deu um carinho de mãe e minhas melhores amigas e minha prima um carinho de irmãs. E é agora,né? O que eu faço?
Um beijo e amo vcs.
submitted by whoolii to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.29 19:03 Pokono- Recomendação de jogo para quarentena: Stardew Valley, e sua inclusividade LGBTs.

Eu sei que o jogo não é novo, lançou em 2016 então pode ser que muitos já jogaram, mas eu só comprei começo do mês e queria recomendar caso algum outro atrasado que nem eu não tenha jogado kkkkk.
É um jogo de simulação e RPG de fazenda, resumindo, mas são enormes as coisas pra fazer e vai muito além de apenas fazenda, é muito relaxante, um 10/10. Só 25 reais na Steam.
O jogo é inclusivo para a comunidade LGBT, eu fiquei bem surpreso com isso quando descobri, sendo que era de 2016 ainda, você pode se casar com personagens de mesmo gênero que o seu, e o jogo trata isso normalmente, os personagens em volta também. Deu para eu viver minha fantasia gay e isso me deixou muuuuito feliz e confortável.
Como você pode escolher ser homem ou mulher, se você considerar, tecnicamente todos os personagens que dá para casar seriam bi, pq todos casariam com você independente de vc escolher ser homem ou mulher, mas ignorando isso, existe 2 que são LGBT mesmo, uma das meninas, se você for um personagem mulher, durante o desenrolar da história dela, revela que tinha uma ex-namoradA (Digo isso pq se vc for homem, ela tinha ex-namoradO, mas só o fato de mudar o gênero do ex é bem legal). E outro personagem que quando vocês estão tendo seu romance, no finalzinho ele diz que tinha duvidas se você ficaria okay "gostando de um cara" se vc for homem também. Não vou falar quais são os personagens pra você descobrir sozinho hihi.
Mas o jogo também aborda um caso de homofobia, a única instância na vdd. Um dos personagens homem tem um familiar, que se você casar com ele, quando você falar com esse familiar, ele diz "Como pode dois homens se casando? Isso não é natural, urgh, talvez eu seja muito "tradicional" ", mas se você chegar ao nível de amizade máxima com ele, seu diálogo muda para "Tenho que admitir, eu achava que era estranho, dois homens juntos, mas vendo como você é uma pessoa tão boa e vocês dois se amam mudou a minha mente."
Quek quiser viver a própria fantasia gay, jogue kkkkkk.
submitted by Pokono- to arco_iris [link] [comments]


2020.07.26 07:48 Xocolate_Amargo Não sei q p*ha sou e minha relações familiares.

Oi ser humano do outro lado, vou me chamar de Xoco nesse post, e tds os nomes fictícios.
(Só um ponto: meu pai tem 8 filhos e eu n conheço tds, acho q nem ele)
Uma explicação rápida sobre minha família: Meus pais estavam quase se separando qnd nasci, só servi pra segura-lós por mais 8 anos (¯_(ツ)_/¯).
Depois do divórcio, meu pai ficou com minha guarda e de meus 2 irmãos mais velhos, assim sendo: Yui (13 anos), Yva (10) e eu 8.
 Minha mãe tem um problema de coluna q a incapacita de trabalhar com carteira assinada, resumo: ela se vira com bicos e 1 aluguel. 
Tenho uma irmã de 30 anos (K, só k pq ela é o oposto de uma Karen) ela não ODEIA minha mãe... Mas não gosta dela pq qndo minha mãe tinha 17 (grávida do Yui), foi morar com ela, q tinha 12/13 e meu pai, na casa dele. (a K é minha irmã de outro casamento) e minha mãe tinha TOC, então a Eva (minha mãe) era mto chata. um irmão de 21 (vamos chama-ló de Wall. Não sou tão próxima dele quanto da K.) e vejo ele menos q o Leon achando um Porigon.
Meu pai é das antigas, ele não diz que é homofóbico, mas é do tipo "Sem preconceito, mas..." ou dizer "Morde-Fronha", "Bicha/Bichõna"...
Minha mãe não é tãaao das antigas, porém não gosta que eu use roupas q ela diz ser de menino, e diz que por ser menina devo usar roupa "de menina", me maquiar e talz; assim como minha madrasta.
Depois do divórcio meu pai teve alguns namoros, e ele namora atualmente a Nie (minha madrasta) a dois anos (namoro mais duradouro desde o divórcio em 2014/2015)
Ela tem três filhos:
★Price: uma menina mimada pela avó e desorganizada pra kssete (queria estar exagerando). (11 anos)
★Itachi: Grita toda hr por causa de jogo, sempre deixa a mesa da cozinha suja com as louças que ousou pro café/almoço e não retira a mesa. (Aqui em casa cada um lava oq usa e tem que retirar a mesa se é o último) (16 anos e menino)
★Tasmanha: um molequinho de 9/10 anos que destrói td que toca por que sabe que vai ganhar um novo. Sempre mente qnd pode pra se safar e acaba ferrando os outros por isso. Grita alto e agúdo td hr, e faz xixi na cama td dia.
(Um ponto forte é que eu e meus irmãos Yui e Yva perdemos a confiança no nosso pai dps q ele quebrou várias promessas importantes pra nós de uma vez só, por puro egoísmo e dps agiu como se nada tivesse acontecido, nós só fingimos de volta. Pelo fato de eu e K temos uma alta diferença de idade, não somos tão próximas qnt eu queria. Ela tem um esposo e duas filhas, não tão importantes pra história. [Ela tmb já perdeu 2 bbs]).
Tem muita história, porém é te que eu consigo resumir. 
Ps. Atualmente Yui tem 19 anos, Yva (comunidade n permite dizer) e eu (comunidade n permite dizer).
Personagens introduzidos, vamos a história:
Nunca gostei de me maquiar e usar roupas "de menina", acho até legal as vezes qnd tô sozinha, eu fico tipo: "Nossa, que legal, mas isso incomoda pra krl..." Como uma vez que eu avia me maquiado (pq minha madrasta insistiu) e Yva me disse:
—Nss, vc tá muito bonita! Kkk –Pô, valeu! Kk E eu fiquei: "Isso foi um elogio... Pq machucou tanto?!" Eu gostaria de me entender. Entender pq de uma hr pra outra me senti mal com um elogio?! Isso aconteceu a um tempão e eu nunca esqueci. Gostaria de ser tratada como meus irmãos, jogar jogos e me divertir como eles. De uns tempos pra cá venho me questionando mto sobre minha sexualidade e gênero. Desde que me lembro sempre fui fã de vestir roupas "de menino" e jogar jogos "de meninos". Sempre odiei estar conversando com as garotas sobre as coisas que considerava superficial, como os draminhas e outras idiotices. Por conta disso as meninas raramente brincavam/conversam cmg. E os meninos não querem estar cmg pelo fato de eu ser uma garota... E nunca me senti desconfortável qnd se dirigiam à mim como "ele". (Não que eu me sentisse desconfortável com "ela".) Eu antes de conhecer o conceito trans/gênero fluído queria cortar meu cabelo longo bem curtinho e andar em meio a pessoas desconhecidas, pra fazer amigos usando uma indentidade masculina. A um dia eu conversava com meu irmão sobre um anime e chegamos ao assunto sobre nossa relação familiar. Como qualquer adolescente meus irmãos já tomaram cerveja e outras bebidas alcoólicas por estimulação dos tios da família. Enquanto eu... Aaah não-- O mas importante é que falamos sobre os rolês deles (Yui, Wall, Yva e seus miguxos) e eu disse: —Tenho certeza que se eu fosse um garoto vcs me envolviam, né? Kkk 
E ELE NEM NEGOU, só mudou de assunto
Mas oq me irrita não é só não poder pedir ajuda pra minha família por medo do possível clima depois (principalmente pq sempre denfendi a comunidade LGBTQ+ mesmo antes de me descobrir nela, e sei que eles diriam coisas do tipo "sempre soube, kk" que me machucariam mto, pq eles me jugariam como lésbica [já até fazem as vezes] por causa disso, oq nós leva ao próximo tópico) E sim o fato dos meus parentes mais próximos sempre se referindo ao futuro dizendo que vou casar e tal, mesmo eu já negando meu desejo por uma festa estúpida feita apenas para unir recursos, algo que de certa forma foi cultivado até hj. Não quero assinar um papel pra mostrar o quanto amo uma pessoa. Isso é ridículo. Menos festas de despedidas de solteiro. Elas são legais. (já pararam para pensar que se chama despedida de solteiro quando você está namorando¿?)
Sexualidade. Mano... Eu não tenho nenhum desejo carnal. E estaria td bem se derrepente: boom! Começo a sentir sexualmente atraída por alguém?? Então percebi q sou demissexual. (Mas apenas pelo sexo masculino.) 
Eu queria explicar mais do meu ponto de vista, pra dar sentido ao q falei das pessoas, porém o post seria enorme :') Talvez eu faça uma continuação e explicando td que ficou de fora, inclusive o pq não desabafei com a K ou algum 'amigo'. É só isso, não sei se sou uma tomboy, gênero fluído, ou um trans. :')
Obrigado por lerem! 
submitted by Xocolate_Amargo to desabafos [link] [comments]


2020.07.25 19:32 JonaPickles "A Descoberta e a identificação"

Oi luba, editores, turma, gatos, e possível convidado olline, hoje vou contar um história de identificação que realmente me mudou muito de uns anos para cá.
"A Descoberta e a identificação"
Bem, como q história é de indentificaçã sexual, de início é bom que tenham em mente que minha família não é homofobia nem nada, mas tende a não entender os conceitos da divercidade de identificações e orientações (por não estarem em total contato com assuntos assim), todos da minha família são heteros (pelo menos os que eu conheço) menos eu. E eu não vejo necessidade em assumir o que eu realmente sou porque, não acho que eu realmente preciso falar que não me interesso nem por homens, nem por mulheres, nem por ninguém. Mas mesmo não falando nada preparo respostas a quem me perguntar. Desde início eu achava que era uma pessoa heterosexual. Com 6-7 anos eu perdi o BV com uma menina. Eu achei que iria namorar com uma menina algum dia, ou quem sabe se casar. Porém, eu sempre tive dúvidas sobre minha sexualidade. Por sofrer preconceito em ser o nerd da sala, por deixar meu quarto mais organizado que meus próprios pais, por estar sempre conversando com meninas, por nunca falar de sexo, sempre fui taxado como gay. E eu era/sou uma pessoa super family freiends, pra mim quando me chamavam de gay, eu achava que era um elogio, mas mal sabia que era desrespeito comigo. Eu nunca falei palavrão nem nada obceno, e não gostava de pessoas que falavam assim ( bem, hoje eu assisto luba então eu mudei). E eu não entendia o que realmente é ser um homem hétero, não sabia que deveria ter interesses sexuais nas mulheres, até porque eu odiava esses tipos de assuntos. Mas foi aí que com uns 11 anos eu me "apaixonei" por um melhor amigo (depois eu explico o porquê das ""). Eu realmente gostava muito dele, mas pensei que seria errado ter um comportamento gay então me senti na necessidade de mudar ou entã falar o que eu sou. Por uns 2 anos eu senti muita "paixão" por ele e sofri por quase tudo o que um gay no armário sofre na sociedade. Eu tive medo de mostrar a minha verdadeira identidade. Eu comecei a me sentir mal pela minha decisão e por meu "gosto". Com dúvidas sobre mim, comecei a assistir vídeos de gays assumidos tipo luba , Jean , para realmente entender oq realmente sou ( uma ótima guia inclusive kkkk) e mais ou menos nesse tempo eu passei a realmente a ter uma "aulinha sexual" nos vídeos . De início me culpei por ver esse tipo de video, mas foi aí que eu entendi que ser gay de verdade é ter interesses sexuais, interesses homoafetivos, sentimentos totalmente ao contrário que eu tinha com esse melhor amigo. Na verdade, o que eu sentia e sinto por esse melhor amigo é o conforto em dizer coisas pessoais. Por ajudar ele com alguns problemas pessoais dele, eu me senti como um irmão. Eu sempre via a histórias, sempre via os comportamentos do luba, Jean, tudo, e ficava confuso com tudo porque eu achava que era um "gay diferente". Eu passei a me odiar por sempre ter me rotulado com algo que eu realmente não sou, e me senti traído por todos que diziam o que eu era. Entrei numa fase triste. Mas o que me fez me sentir bem foi ler o livro" amar ou depender" de Walter riso. Uma vês o luba disse que era bom então, resolvi ler e meu Deus, que livro top. Consegui ser independente emocionalmente, visto que eu vivia grudado com meu melhor amigo e que necessitava de ajuda dele. Eu sempre investi energia para ajudar ele emocionalmente mas não tinha troca. Embora doce, por ter problemas e traumas de infância, ele não sabão direito o que é empatia. E tipo, com todo esse desenvolvimento, eu deveria ressaltar que eu fui uma pessoa sozinha na escola, eram poucos que eu conversava, não tinha com quem me abrir. E também, eu infelizmente nunca contei nada aos meus pais, isso era algo que mais me preocupava diante de tudo isso. Eu sabia que eles iam me aceitar, mais sla. Porém até certo ponto foi bom pra mim não ter dito nada a ninguém porque, eu não sou o que eu sempre queria dizer. Hoje eu sou assexual, descobri que eu realmente não sinto interesse sexual ou afetivo por nenhum dos sexos possíveis, e que devo agora seguir em frente independente de tudo. Se eu tivesse dito coisas que eu não sou em pouco tempo, sem construção de opinião, iria dar ruim pra mim. Por exemplo, por mais que eu me sentia confortável foi bom não ter dito nada a esse meu amigo. Ele tinha pontos homofóbicos, o que foi quebrado com o tempo de amizade que temos hoje. Eu prezo muito nossa amizade, e acredito que dá pra mudar as opiniões das pessoas das pessoas na amizade ( sem manipulação, claro) e se construir. Mas pelo menos pra mim, eu acho que vale a pensa esperar mais um pouco para confirmar minha sexualidade. Por ser jovem (16 anos) , e estar em desenvolvimento sexual, pode ser que algo mude, que no final de tudo tenho enterrese sexual sim. Não faço isso por medo da sociedade me atacar, mas talvez para mim realmente é bom esperar. Então a dica que eu dou pra você jovem que tende a ter traços homossexuais, espere um pouco, e quando você for independente assuma em paz ( ou então, nem assuma, direito seu ), pois eu realmente sofri quando achei que era hétero e quando pensei que era homem sexual. Mas independente de tudo, seja feliz do jeito que você é pois você que sofre por ser diferente, com certeza irá dar volta por cima algum dia e com essa história vai ajudar outras pessoas nesse mundo que sofrem com esse tipo de problema, . Me senti na necessidade de dizer algo no reddit pra ajudar alguém que sofra. Estou muito feliz porque a turma feira voltou :) .Como sempre um beijo para quem quiser <3.
submitted by JonaPickles to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.25 18:34 YatoToshiro Fate/Gensokyo #47 Archer of Red (Fate/Apocrypha)


Fate/Apocrypha - Fate/Grand Order
​O Nome Verdadeiro do Arqueiro é Atalanta, Uma caçadora famosa conhecida como Caçadora de Castas Que aparece na mitologia grega.
Ela é uma caçadora famosa por seus pés rápidos na lenda da Grécia Antiga. Ela se tornou famosa depois de ser a primeira a lançar uma flecha no Javali Calidoniano durante seu extermínio. Além disso, ela é incluída como membro dos argonautas, que reuniram bravos heróis de toda a Grécia. Ela tem o passado trágico de nascer como filha de um rei de um determinado país e ainda ser abandonada nas montanhas por seu pai.
Legend
Atalanta nasceu como filha do rei Iasus da Arcádia. No entanto, apesar de ter nascido e ser a princesa do paraíso natural, Atalanta acabou sendo abandonada nas florestas e nas montanhas imediatamente quando nasceu, quando foi evitada pelo pai - que desejava um filho. Mas ela sobreviveu graças à proteção divina de Artemis, uma deusa virgem que sentiu pena dela. Ártemis enviou e fez um urso fêmea, um animal sagrado da deusa, nutrir a menina dando leite e levantando-a. Em gratidão, Atalanta é um seguidor fervoroso de Ártemis.
Depois disso, depois de ter sido criada pela ursa enviada por Artemis, e mais tarde foi descoberta e adotada por caçadores que pisaram nas montanhas, Atalanta desenvolveu suas habilidades conspicuamente, talvez devido ao seu talento latente, e também se tornou uma caçadora. Ao atingir a idade adulta, Atalanta cresce e se torna uma caçadora excelente e inigualável, e ela realiza muitas aventuras.
Há três contos pelos quais Atalanta é famosa. O primeiro conto é sobre como ela foi escolhida, acompanha e participa como membro dos Argonautas liderados por Jason. Atalanta se orgulha de ser a mais rápida entre os humanos, e logo depois de se tornar uma das poucas tripulantes do Argo, ela conheceu o herói Meleager.
Meleager ficou encantado com Atalanta, e ele a convidou para o extermínio da Besta Mágica da Caledônia. O segundo conto é sobre o extermínio do Javali Calidoniano, onde Atalanta é mais conhecida por sua participação nesta caçada, mas isso resultou em uma tragédia logo após esse evento. Por uma questão de exterminar esta Besta Mágica que foi despachada por Artemis, que ficou com raiva de um rei que estava sendo negligente ao oferecer-lhe um sacrifício, Atalanta e os outros esgotaram seus esforços em uma tentativa desesperada de caçar o javali. No entanto, embora Meleager tenha perfurado o golpe final, ele entregou a conquista a Atalanta, que foi a primeira a acertar sua flecha no javali, sendo um ato de boa vontade para Atalanta, ou Meleager tendo pensado que isso é algo que deveria seja simplesmente seguido como um herói.
Em relação aos homens, eles demonstraram descontentamento em relação a isso, onde não podem crescer para serem simplesmente tolerantes e estavam dizendo que possuem habilidades maiores que Atalanta, que é mulher. Uma briga de repente ocorreu entre Meleager e seus parentes, e Meleager foi infligido por uma maldição mortal.
O terceiro conto é sobre a disputa pelo casamento de Atalanta. Após a caçada ao Javali Calidoniano, Atalanta retornou à sua terra natal, mas seu pai, que nunca teve um filho, ordenou que ela se casasse. uando os pretendentes começaram a se apressar para pegar sua mão, a problemática Atalanta decidiu transformá-la em uma competição de corrida de pés. Ao prometer um voto de virgindade à deusa, ela proclamou: "Só me casarei com alguém que possa me derrotar numa corrida de pés. Aqueles que perderem serão mortos". Ela rasgou um grande número de desafiantes. Embora Atalanta não perdesse para ninguém na corrida aos pés, ela caiu nos planos covardes de um homem que pediu emprestada a ajuda de uma deusa e acabou se casando sem força. Ela perdeu quando foi levada a pegar maçãs douradas irresistíveis jogadas na frente dela, e ela teve que quebrar seu voto. Posteriormente, foi dito que ela foi transformada em leão como punição, mas isso é incerto.
Em relação a Meleager, é incerto que tipo de sentimentos Atalanta abraçou por ele. No entanto, ela parecia ter visto o resultado de um homem que a amava ser arrastado para uma tragédia, enquanto, com relação à persuasão de seu pai em se casar, ela tentava escapar da demanda irracional que lhe era imposta, mas ela também não conseguia. No final, nenhum desses contos teve um final particularmente feliz para ela, e sua desconfiança em relação aos homens se tornou extremamente forte devido ao terceiro conto em particular também.
No que diz respeito a ela, Atalanta é uma existência que projetou seu eu anterior enquanto, simultaneamente, ela existe como um símbolo de pureza para as crianças. Embora ela tenha sido salva pelas mãos dos deuses, é quase além da redenção para o resto das crianças. Ela, que se materializou como serva, confia a salvação dos filhos ao Santo Graal. Todas as crianças do mundo todo. Essa missão não tem recompensa e, mesmo assim, mesmo sabendo que é um desafio difícil e quase impossível de realizar, ela perseguirá esse sonho por toda a eternidade.
Fate/Extra
Atalanta é brevemente mencionado em Fate/Extra como um Servo de passagem de um Mestre sem nome de Saber em uma conversa em Sala Privada. Ela elogia Atalanta como uma bela caçadora e um dos exemplos de um belo espírito heróico, ao contrário dos "feios", como piratas e ladrões. A menção não tem relação com o design dos apócrifos, e ela não faz uma aparição real.
A adaptação para mangá de Fate/Extra combina os dois aspectos, apresentando uma breve participação especial no design apócrifo de Atalanta. Saber e Atalanta lutam brevemente contra Lancer, onde Saber salva Atalanta do ataque de Lancer. Por fim, ela e seu Mestre perecem na Guerra do Santo Graal das Células da Lua.
Fate/Grand Order
Orleans: O Dragão Maligno Guerra dos Cem Anos
Atalanta, junto com outros Servos, é convocada por Jeanne Alter como Arqueira-Berserk.Para participar de sua destruição da França. Ela é encontrada por Ritsuka Fujimaru, Mash Kyrielight e seus aliados quando eles vão assaltar o palácio de Orleans. Depois de ser derrotada por eles, Atalanta aceita sua derrota, dizendo que a tarefa que lhe foi dada foi problemática e sem recompensa. Ela então diz ao grupo para derrubar Jeanne Alter. Ela tenta dizer algo sobre a próxima vez, mas desaparece antes que ela pudesse.
Okeanos: Os Quatro Mares Selados do Fim
Atalanta é um aliado da singularidade de Okeanos. Ela foi convocada junto com os outros argonautas: Jason, Heracles e Medea. No entanto, quando Jason quis procurar a Arca e sacrificar um deus, ela deixou o grupo. Ela finalmente encontra David e diz a ele o que Jason planeja fazer com a Arca. Depois de informá-lo disso, ela decide esperar com David até que os aliados cheguem à época.
Eles finalmente ouvem sobre Ritsuka e seus aliados procurando a Arca antes de Jason chegar a ela. Depois que Atalanta envia uma mensagem ao Golden Hind por flecha, David aguarda ansiosamente a chegada do navio, mas ela diz para ele se acalmar. Ela consegue desviar todos os flertes de David até Ritsuka e seus aliados chegarem. Ela vai conhecer o grupo onde se lembra de Ritsuka e Mash de Orleans, mas desta vez agradece por ser ela mesma. Após o choque de descobrir que Artemis é um romântico sem esperança, Atalanta leva o grupo pela ilha a conhecer David. Ela então fala de suas circunstâncias ao convocar e se aliar a David, explicando que nunca havia gostado de Jason na vida.
Mais tarde, Atalanta ajuda o grupo em seu plano de destruir Heracles, atraindo-o e fazendo-o tocar na Arca. Depois, ela e David se juntam ao grupo no Hind Dourado enquanto perseguem Jason. Depois que Caldéia recupera o Santo Graal de Medéia, Atalanta diz a Ritsuka e Mash que ela está feliz em ajudar neste momento antes de desaparecer com o colapso da Singularidade, embora ela se perguntasse como continuaria a oferecer sua oração a Artemis, agora que sua personalidade foi revelado.
Salomon: O Grande Templo do Tempo
Atalanta está entre os Servidores da Singularidade "Okeanos" para ajudar a Caldéia contra os Pilares dos Deuses Demônios. David flerta com Atalanta e a chama de Abishag.
Corrida de Verão Dead Heat! ~ Ishtar Taça de esperanças e sonhos
Atalanta é o líder de um grupo de bandidos que residem nos terrenos baldios. Ela se revela aos pilotos depois que eles derrotam alguns dos bandidos, referindo-se a eles como seus filhos. Ela explica que os pais são muito mais do que apenas genética e diferença de idade em resposta à confusão do grupo. Chamando o terreno baldio às planícies de Atalanta, ela diz aos corredores que suas estradas levam a onde ela e seus "filhos" plantaram maçãs-semente. Ela diz que eles são essenciais para o futuro de seus "filhos", então ela não pode permitir que eles sejam destruídos na corrida. Ela ignora a explicação de Helena Blavatsky de que as maçãs não podem crescer em um clima árido como o deserto. Ela então permite que os pilotos voltem ou encontrem outro caminho, caso contrário ela os matará. Eles a ignoram e continuam correndo, mas acionam as minas terrestres que ela plantou para proteger as maçãs das sementes. Atalanta declara que fará qualquer coisa, por mais desprezível que seja, para proteger seus "filhos". Ela então revela que comprou as minas terrestres de um demônio passageiro, garantido que elas trabalhariam nos servos. Quando Nitocris diz que as maçãs foram destruídas, considerando o tamanho das explosões das minas terrestres, Atalanta culpa os corredores pelo que aconteceu. Nitocris e Scheherazade tentam correr à frente, mas Atalanta os alcança facilmente a pé. Depois de ser derrotada por eles, ela diz que a fez para desempenhar seu papel. Ela admite que era um pouco demais esperar que eles acreditassem que uma gangue de bandidos eram seus filhos antes de desaparecer.
Fate/Apocrypha: Herança da Glória
Após a conclusão da Grande Guerra do Santo Graal, Darnic, ainda fundido com Vlad, permaneceu no Grande Graal. Ainda desejando adquirir o Graal, ele manifestou réplicas irracionais dos Servos participantes da guerra (exceto os Governantes) para lutar incessantemente em uma recriação da guerra dentro de uma recriação de Trifas. Eventualmente, Atalanta, Spartacus e Frankenstein atacam a Fortaleza Yggdmillenia, onde a festa de Ritsuka se baseia à noite. Eles derrotaram pelo grupo e desaparecem com a luz da manhã.
Devido à influência de Sieg, Atalanta, Spartacus e Frankenstein se manifestam na manhã seguinte. Aquiles pergunta a Atalanta se ela é a mesma que seu pai, Peleu, sempre falou. Ela percebe que ele é filho de Peleu, e lembra Peleu como o homem que ela jogou durante uma marcha de luta livre. Quíron entra na sala e pede ajuda para fazer armadilhas. Ele presume que ela seria mais adequada quando se trata de florestas. Atalanta aceita, mas ela se pergunta que dever, já que todos estão dentro do Graal. Quíron responde que é para proteger o Graal e diz que eles eram inimigos na realidade. Atalanta acha normal que os inimigos se tornem aliados; Aquiles diz que eles eram aliados como Servos de Vermelho. Ela está feliz por tê-lo como aliado, mas ressalta que o inimigo é instilado com a Divindade para negar sua imortalidade. Ela acha desagradável a perspectiva de potencialmente lutar contra si mesma mais tarde. Assim, ela pede a Aquiles para não arrastar "seu" corpo. Aquiles responde que ele não faria isso a menos que fosse um Berseker, ao qual Atalanta responde que ela estava brincando. Apesar de não ter nenhuma lembrança da Grande Guerra do Santo Graal, ela sente que ela e Aquiles tiveram muitas conversas. Aquiles responde que ele sempre quis conhecê-la desde que seu pai falou com carinho dela; Atalanta pede que ele pare de vergonha. Mais tarde, ela lança a catástrofe de Phoebus nas réplicas de Astolfo, Siegfried e Mordred atacando a fortaleza. A réplica Astolfo é capaz de evitá-la, no entanto, graças à capacidade de mudança de dimensão de Hippogriff. Então Atalanta decide que ela e Quíron continuarão atirando até que ele se materialize.
No dia seguinte, o grupo se une aos Astolfo, Siegfried e Mordred re-materializados. Durante uma reunião no jardim, é determinado que os Jardins Suspensos da Babilônia servem como base inimiga. Atalanta se pergunta se eles podem atacar os Jardins durante o dia em que Quíron diz que será defendido por doze Servos. Avicebron, no entanto, revela o golem que ele enviou para inspecioná-lo, conforme o pedido de Quíron, foi transportado para o exterior quando a noite chegou. Como não há alternativas, o grupo concorda com um ataque frontal. Enquanto os outros escolhem seus papéis para proteger Ritsuka e Sieg a caminho dos Jardins, Atalanta diz que ela apenas flecha quando perceber que Sieg sabe alguma coisa. Sieg lembra que ela usou um Noble Phantasm para voar durante a Grande Guerra do Santo Graal. Atalanta percebe que está falando sobre Agrius Metamorfose e lembra que é capaz de voar. Ela está convencida de que usou durante a Grande Guerra do Santo Graal e se pergunta se ela estava em uma situação tão desesperada para usá-lo. Ela decide usá-lo, mesmo que não seja para vôos prolongados. Ela diz a Spartacus que ele não pode se tornar um pássaro em uma única noite, quando diz que fará exatamente isso para chegar aos Jardins, dizendo que é ofensivo para os pássaros. Ela então sugere que ele use uma corda para subir ao jardim, o que ele aceita.
No dia seguinte ao ataque, o grupo come sanduíches de morango no jardim. Atalanta os acha doces e acredita que as crianças vão gostar. Ela irritantemente responde a Jack que o sangue e os morangos têm um gosto drasticamente diferente quando ela pergunta sobre isso. Quando Aquiles começa a exagerar as habilidades de Quíron, Atalanta pergunta se ele pode atirar a maçã em um magistrado do mal. Mais tarde naquela noite, o grupo começou a voar em direção aos Jardins. Atalanta encontra sua roupa enquanto Agrius Metamorphosis está ativo para ser um pouco arriscado, preferindo sua roupa regular. Ela decide lidar com isso de qualquer maneira, uma vez que lhe permite voar. Quando Quíron diz ao grupo para acreditar em sua própria sorte ao iniciar seu ataque, Atalanta interpreta mal quando ele diz a ela para desistir, já que sua sorte é muito baixa. O grupo finalmente descobriu a réplica dos Servos que os barravam e entrava nos Jardins. Eles derrotam Semiramis e Karna e os recrutam quando acordam na manhã seguinte. Eles são guiados por Semiramis para onde o inimigo reside, a câmara do Graal.
Na câmara do Graal, o grupo encontra Darnic, o cérebro por trás da Guerra do Grande Graal recriada. Sieg explica como Darnic se fundiu com seu Servo, a forma vampírica de Vlad através de um Feitiço de Comando, numa tentativa desesperada de retomar o Graal. Tornando-se um monstro além do de um vampiro, Darnic chegou perto de retomar o Graal até Shirou o destruir. Deveria ter terminado ali, já que um Servo deveria voltar para pura mana e retornar ao Grande Graal quando morressem. No entanto, isso nunca aconteceu porque Darnic era humano, e também porque Darnic prolongava a vida fundindo sua alma com a de uma criança. Como resultado desses fatores, Darnic não é um humano nem um Servo, ele é apenas um ser instintivamente buscando conceder seu desejo de adquirir o Graal. Sieg tenta convencê-lo a se render, dizendo que um Graal quebrado não pode alcançar a Raiz nem ativar a Terceira Magia. Darnic recusa e lembra ao grupo que ele já controla 87% do Graal. Ele declara que, enquanto ele possuir o Graal, nenhum grupo desaparecerá, mas eles desaparecerão quando ele se for. Ele então propõe usar o Graal para encarná-los, se eles concordarem em se juntar a ele. No entanto, todos eles recusam sua proposta por causa de seus próprios princípios como heróis. Atalanta diz a ele para obter sua própria vitória se não estiver satisfeito. Esperando que essa seja sua resposta, Darnic se conecta a uma réplica do Graal que emerge do Graal para o choque de Sieg. Ele então luta contra o grupo, fazendo com que a réplica do Graal gere continuamente réplicas de Servos. O grupo luta no começo, já que a réplica do Graal está usando suas afinidades de classe contra eles, então eles decidem fazer o mesmo. Atalanta questiona Mordred sobre a necessidade de orientação de Frankenstein, um Berserker. Mordred a chama de exibicionista em resposta, cujo choque faz com que Atalanta retorne ao seu eu original. Depois que a réplica do Graal é destruída, Darnic se recusa a desistir quando é atingido por Kazikli Bey do supostamente selado Vlad. Ao contrário dos outros, ele mantém suas memórias da Grande Guerra do Graal devido a Darnic se fundir com ele durante ela. Ele finalmente convence Darnic a aceitar que seu sonho quebrado nunca pode ser recuperado. Depois que Darnic e Vlad desapareceram, o grupo é teleportado de volta ao chão por Semiramis. Atalanta despediu-se dos outros, esperando vê-los novamente e desapareceu.
Interlude
Em seu primeiro interlúdio, Sorriso da Deusa, Atalanta viaja com Ritsuka e Mash para a ilha que eles conheceram durante a Singularidade de Okeanos para recuperar algo que ela deixou para trás. Lá, ela diz ao par que deixou uma estátua de Ártemis que ela fez à mão. Ela começa a liderá-los em direção a uma caverna do outro lado da floresta quando sente uma quimera. Depois de morto, o grupo entra na caverna. Atalanta diz a Ritsuka que um desejo egoísta do Graal não é exatamente o errado. Ela admite que também tem um desejo simples que sabe que nunca pode ser atendido, mas mesmo assim o persegue. Depois de matar mais monstesr, o grupo alcançou a estátua de Artemis. Atalanta expressa seu desdém geral por Orion quando Ritsuka sugere que ela faça uma estátua dele. Ela então pergunta a Mash se ela prefere se casar com Orion ou Jason, mas Mash não é capaz de responder como ela mesma. Artemis e Orion então chegam, e ela ataca o grupo pelo que Atalanta disse sobre Orion. Ela alerta Atlanta que não será mais abençoada por ela se vencer. Depois que ela é derrotada, Artemis e Orion vão embora. Atalanta então sugere que eles retornem à Caldéia com carne de Quimera ou pele de javali, mas Ritsuka silenciosamente rejeita os dois.
Em seu segundo interlúdio, London Child, Atalanta viaja para Londres com Ritsuka e Mash. Ela explica que ouviu Jack, o Estripador, manifestado lá. O grupo é então confrontado por Servos Sombrios. Depois de derrotá-los, eles finalmente encontram Jack. Atalanta diz a ela que nunca encontrará sua mãe, pois, mesmo que existisse, nunca a aceitaria como filha. Depois de derrotar Jack, ela confessa que queria salvá-la, apesar de estar sem dinheiro. Jack então desaparece e ela já foi salva. Atalanta adverte que Jack continuará se manifestando até que a história humana seja restaurada. Ela então afirma que seu desejo é salvar todas as crianças infelizes do mundo. Ritsuka acha que é um desejo difícil, ao qual Atalanta lhes agradece por não rirem dele. Ela percebe que é quase impossível, mas ainda quer persegui-lo.

Fate/strange Fake

Atalanta aparece brevemente quando Bazdilot Cordelion sonha com seu Servo, o passado do Arqueiro Verdadeiro. No sonho, quando o Argo navega pelo mar, Jason fala sobre seus objetivos para seu novo reino em Heracles, afirmando que ele se tornará o maior rei, que criará a melhor e mais justa nação, onde até alguém como Heracles pode viver sem se preocupar. . No fundo, as reações dos outros membros da equipe ao discurso de Jason foram variadas. Atalanta, descrita como uma arqueira com um ar bestial, olhou para Jason com suspeita. Quando Bazdilot conta seu sonho para True Archer, True Archer confirma que a mulher era Atalanta e que desdenhava Jason.
submitted by YatoToshiro to Fate_GensokyoBR [link] [comments]


2020.07.20 20:04 choco-menta Desilusão amorosa, primeira e única

Olá Lucas, gatas, editores e turma/chat que está a ver. Essa é a história de como o amor me fez de trouxa pela primeira e, até agora, única vez.
Obs.: Todos os nomes que eu cito na história já foram censurados.
O começo dessa história data de junho de 2011. Era o dia da festa junina do meu colégio e eu ainda estava no terceiro ano do fundamental. Os alunos do primeiro até o quinto ano eram convidados a participar das apresentações de quadrilha a troco de um pequeno bônus na nota e uma boa humilhação pública. Para aquele ano, nossa turma ia apresentar aquela clássica performance do casamento e, pra não ser injusta com nenhum par, todos nós que resolvemos participar íamos nos casar. Sendo assim todas as meninas estavam vestidas à caráter, como pequenas noivas — eu inclusa. — e os meninos com um traje estereotipado caipira: calça jeans, camisa xadrez e chapéu de palha.
Antes dos ensaios eu nunca tinha tido muito contato com o meu "noivo", vou chama-lo de João, e o conhecia apenas de vista. No entanto, a dança nos aproximou e ficamos bastante amigos. No final das aulas, enquanto esperávamos que nossos pais fossem nos buscar tínhamos conversas até que produtivas para crianças de apenas oito anos.
Ele foi o primeiro menino que eu cheguei a considerar meu amigo e não demorou muito para que minhas irmãs fanfiqueiras enchessem o meu saco dizendo que aquilo era mais que uma amizade. Se não fosse por elas, minha cabecinha inocente não teria visto nada de errado em casar com o garoto por um dia apenas, mas após as insinuações delas eu passei a enxergar o que tínhamos por outro ângulo e não gostei muito do que vi.
Meu pai sempre foi do tipo protetor, daqueles que diz que namoro é coisa para depois da faculdade e na época eu fiquei apavorada pensando que estava o desobocendo só por ser gentil com o garoto. Foi aí e por conta disso que me decidi: após o casamento, eu ia querer o divórcio.
Na noite da festa eu me concentrei em me divertir e na dança. Mas, mesmo me divertindo à beça, eu ainda sentia que estava fazendo algo de errado e segui firme naquela ideia.
Ficamos cinco anos sem nos falar. O fato de que nunca mais caímos na mesma turma ajudou. Também não tínhamos um amigo sequer em comum. Na real, um dos amigos dele era o Miguel, um menino que praticava bullying comigo e com praticamente a escola inteira. Na época eu considerava bullying porque ele dizia em forma pejorativa, mas hoje em dia se me chamarem de "Lady Gaga" de novo eu irei aceitar como elogio. E não precisa cancelar ele, o Miguel é importante para a história e só estava por um período de auto-aceitação (na verdade ele é little monster).
Além disso, muita coisa mudou em cinco anos. Em 2012, por exemplo, foi o fim do meu mundo. Não que seja importante pra história, mas ninguém morreu, além do amor entre o meu pai e a minha mãe.
Indo para 2015, eu e Miguel fomos colocados na mesma turma. Eu pensava que seria um inferno, mas o excesso de convivência — seis horas por dia, cinco dias da semana. — fez com que virássemos amigos. E, sendo amigos, eu passei a andar com os amigos dele e ele com os meus.
E dentre os amigos dele estava o João, meu ex-marido. E, com quatorze anos, o tempo foi esclarencendo para mim o que eu sentia por ele. Tivemos conversas ainda mais interessantes, trocávamos indicações de livros, séries e músicas. Ficava cada vez mais claro para mim que aquela era uma amizade que eu não iria querer desperdiçar ao fazer a burrada de me declarar. Na minha cabeça, fazia muito sentido que eu deixasse tudo como estava: e se ele não sentisse o mesmo? E se não durar? Meu pai nunca que iria deixar mesmo.
No Ensino Médio, cada um seguiu seu caminho e foi para uma escola diferente. Em estados diferentes, inclusive. Mas, no fundo, eu acho que sempre haverá uma parte de mim esperando pelo universo fazer uma forcinha e nos coloquar frente à frente mais uma vez, ainda que para trocar mais indicações de cantores e seriados. E depois da faculdade, de preferência.
Soquinho no cotovelo e <3
submitted by choco-menta to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.20 00:59 astral1999 fui praticamente obrigado a me casar com 18 anos ( atenção pf)

eu namorava uma menina, e o pai dela é uma daquelas pessoas rígidas de costumes antigos, pedi para ele para namorar com a filha, e ele autorizou, depois de um ano mais ou menos tivemos nossa primeira relação sexual, e o pai dela ficou sabendo, então ele chegou a me ameaçar, e tambem falou que ou eu casava com ela ou ele levaria ela embora pra muito longe, de acordo com ele nós tinhamos que nos casar para a filha dele não ficar com o nome manchado, e eu entrei em um grande conflito com minha familia para casar, o que causou muito sofrimento pra mim, mas casei com 18 anos de idade, foi um dia muito triste e eu tive que fingir sorrir a noite toda, e hj em dia estamos a 3 anos juntos, com um casamento que é um namoro, pois nós ainda não moramos juntos nem trabalhamos, mas assim, as vezes, eu passo na praça da minha cidade, vejo pessoas da minha idade se divertindo, aproveitando a juventude, e sinto vontade de estar lá, as vezes sinto vontade de ter uma vida de solteiro, conhecer novas pessoas, novas experiencias, as vezes me sufoca sabe, mas não posso terminar isso, ela me ama tanto sabe, me ama muito, quer ficar cmg pra sempre, se eu terminasse nosso relacionamento, a vida dela viraria um inferno, mas como eu disse, as vezes eu sinto a necessidade de me sentir livre, a vontade, até mesmo curtir uma solidão. o que vcs acham da minha história?

edit: vcs acham que eu deveria tentar me adaptar e tentar viver uma vida feliz com ela, ou terminar tudo e aproveitar minha juventude?
submitted by astral1999 to desabafos [link] [comments]


2020.07.18 17:39 tiafirebreather meu pai homofóbico não aceita minha sexualidade

Olá turma, como vocês estão? sou bi sex uau, e estou ficando com uma menina, que sempre estava aqui em casa, dormiu várias vezes, até o dia em que estávamos tomando banho e meu pai chegou em casa. Não tinha me assumido até então, pq conheço meu pai e sei que ele não aceita, mas me assumi e ele obviamente não entendeu e aceitou.
eu ouvi a seguinte frase "se você gosta dos dois, é só escolher homem!"
ele trata como uma doença, vive falando que eu tenho escolha, e coloca pressão psicológica como "meu SONHO é ter netos, levar minha filha ao altar para casar com um homem" ele foi conversar com minha mãe (eles já são separados há 13 anos) e disse que a intenção dele era bater até resolver. Por sorte, minha mãe, que aceita, disse que não resolveria, e tentou enrolar o máximo, mas tem grande chance de eu ser agredida pela minha sexualidade. Eu tenho medo de estar em casa com ele, e moramos só nós dois, então toda a renda vêm dele também.
sinceramente, eu não sei o que fazer, e a opção de ele aceitar com o tempo não existe. talvez eu vire mais um número para "pessoas assassinadas por homofobia".
submitted by tiafirebreather to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.16 06:45 JIYOZE Um peixe fora d'água

Queria que existissem pessoas como eu. Sempre fui a menina estranha da escola. Apesar de ser a nerd da escola, sempre fui muito comunicativa, falava com todo mundo e a escola inteira me conhecia, mas nunca tive uma amizade fiel para passar todo tempo comigo e me aguentar. Nunca gostei dos papos das meninas, até aguentava com educação, mas o cansaço e o tédio daqueles assuntos sempre me faziam procurar outras companhias.
Cá estou eu no último ano da faculdade. Sempre achei que minha fase de estranha era só uma fase e que seria superada. Não foi. Continuo sendo a diferentona. Vez ou outra ainda encontro alguns colegas da escola e sempre parece que gosto e os aprecio muito mais do que eles a mim. Na verdade, eu sou o tipo de pessoa que quando gosta é de verdade, então pode passar anos e mais anos que ainda sinto o mesmo amor pela pessoa.
O problema para mim é a solidão, nos bons e maus momentos sinto que não tenho com quem compartilhar nada. Não me sinto completamente realizada, apesar das conquistas acadêmicas e profissionais. As características da minha aparência também me fazem sentir que sou muito diferente. Sou uma mulher alta, mais do que a maioria da minha região pelo menos. (1,80). Ou seja, também mais alta que a maioria dos homens. Acho que tudo soma para me sentir diferente.
Eu posso conversar com qualquer pessoa, sobre qualquer assunto. Política, economia, animes, séries, doramas, filmes, ONU, educação, e etc. Eu gosto de falar de tudo e as vezes conheço alguém muito legal (homem), mas sempre acaba se assustando com minha "versatilidade". Eu odeio quando estou saindo e conhecendo melhor um crush e percebo que está meio impressionadinho (assustado) comigo. Também sou o tipo de pessoa otimista que se vê capaz de fazer qualquer coisa, desde que queira. Tenho espírito empreendedor. Amo estudar.
Sou sagitariana, apesar de não dar muita bola para signos, minhas características batem muito com o perfil. Sou realista e sincera além do ponto. Sobre sinceridade, eu não entendo porque as pessoas não são. A vida seria mais fácil se todo mundo falasse a verdade. Tudo que eu queria era participar de uma comunidade de pessoas, ser aceita como sou, sem causar espanto quando vou me revelando. Tudo seria mais fácil se as pessoas fossem parecidas comigo rsrs.
Ah solidão. Mal consigo fazer amigos, imagino se um dia vou me casar. Um dos meus sonhos principais é ser mãe, ter uma família. Complexo.
submitted by JIYOZE to desabafos [link] [comments]


A menina que quer casar Menina - Netinho Índia pode se casar com Homem Branco? - YouTube Tentei casar com 2 meninas ao mesmo tempo 1 parte avakin life VOU CASAR COM MINHA EX NAMORADA NO MINECRAFT ! (TROLLAGEM ... COMO CASAR COM UMA MULHER INDÍGENA? - YouTube NETINHO - menina - YouTube MENINA - GABRIEL GUERRA (LYRIC) Menina - Paulinho Nogueira - YouTube

Uma menina de 9 anos foi obrigada a se casar com um homem ...

  1. A menina que quer casar
  2. Menina - Netinho
  3. Índia pode se casar com Homem Branco? - YouTube
  4. Tentei casar com 2 meninas ao mesmo tempo 1 parte avakin life
  5. VOU CASAR COM MINHA EX NAMORADA NO MINECRAFT ! (TROLLAGEM ...
  6. COMO CASAR COM UMA MULHER INDÍGENA? - YouTube
  7. NETINHO - menina - YouTube
  8. MENINA - GABRIEL GUERRA (LYRIC)
  9. Menina - Paulinho Nogueira - YouTube

Menina! Que tantas vezes fiz chorar Achando graça quando ela dizia: 'Quando crescer vou Casar com você' Menina! Como eu pude te amar agora... Te carreguei no colo, menina Cantei prá ti dormir ... Menina! Que um dia eu conheci criança Me aparece assim de repente Linda, virou mulher Menina! Como pude te amar agora... Te carreguei no colo, menina Cantei ... Genoa 1-3 Juventus Dybala, CR7 & Douglas Costa all on target in Juve win over Genoa! Serie A TIM - Duration: 4:14. Serie A Recommended for you. New Menina, que um dia conheci criança Me aparece assim de repente,linda, virou mulher. ... -Quando crescer vou casar com você. Menina, porque fui te encontrar agora. Te carreguei no colo menina Neste vídeo eu explico se a indígena pode se casar com o homem Branco ou não. #Índia#HomemBranco #Amor Siga nas Redes Sociais 🔹 Instagram: https://goo.gl/vcZQHA @mpRazor 🔹 Twitter: https://goo.gl/q5GQfr @mpRazor 🔹 Fanpage: https://goo.gl/mq4EjP 🏆 Deixe seu com... As meninhas de pé no chão, um dia serão moças E podemos nos apaixonar por elas... Menina, que um dia eu conheci criança Me aparece, assim de repente Linda, v... Salve gente tive que narrar por cima pois não ficou bom, mais não narrei o video todo pois chegou gente em casa espero que tenham gostado. Neste vídeo explico como casar com uma mulher indígena tribal e urbana. #Namoro #Casamento